Exames cardiológicos

Eletrocardiograma convencional de 12 derivações (ECG) Imprimir

Este exame não possui nenhum tipo de preparo.
O que é

É um dos exames mais rápidos e simples de ser realizado. O Eletrocardiograma ou ECG é o registro gráfico da atividade elétrica do coração, realizado em aparelho chamado eletrocardiógrafo.


Como é feito

O paciente permanece deitado, em repouso, enquanto é aplicado gel condutor (para evitar interferências durante o exame) em pontos do tórax, punhos e tornozelos. Em seguida, colocam-se os eletrodos nesses locais e procede-se ao registro do eletrocardiograma, com o paciente mantendo-se o mais relaxado possível.


Objetivos do exame

Analisar o ritmo cardíaco

Avaliar a condução do estímulo através do sistema de condução do coração e das suas cavidades

Avaliar a integridade ou anormalidades do sistema de condução

Detectar eventuais sobrecargas das cavidades cardíacas e zonas correspondentes à ausência de atividade elétrica.


Indicações

O exame é utilizado sempre que se deseja avaliar a função cardíaca. Hoje o ECG é parte integrante de uma consulta cardiológica, especialmente numa primeira consulta.


Contraindicações
  • Pacientes em que não se consiga colocar os eletrodos para o registro
  • Pacientes incapazes de permanecer em repouso para sua execução

Referências: Diretriz dos Equipamentos e Técnicas de Exame para a Realização de Exames de Eletrocardiografia de Repouso - Novas Diretrizes (www.cardiol.br).

Ecodopplercardiograma transtorácico (Adulto, pediátrico e fetal) Imprimir

Adultos: Não há nenhum tipo de preparo para este exame.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

Pede-se que o paciente traga todos os exames cardiológicos anteriores, para que o médico tenha em mãos o máximo de informações sobre o paciente.

Preparo (crianças menores de quatro anos)

Jejum de 2 horas

Recomenda-se que as crianças cheguem com sono à clínica. Caso a mesma esteja muito agitada, poderá receber um sedativo leve para a realização do exame.

O que é

O ecocardiograma com doppler é um exame de ultrassom no qual as imagens do coração são captadas por um transdutor colocado sobre o tórax do paciente e transmitidas para um monitor. É um método diagnóstico muito utilizado em cardiologia para a detecção de alterações estruturais e/ou funcionais do coração.


Como é feito

Com o paciente deitado, as estruturas do coração são analisadas em diferentes posições através das imagens projetadas no monitor. O procedimento é completamente indolor e sem riscos para o paciente. Tem duração de aproximadamente 15 a 25 minutos (salvo exceções).


Indicações

Dor torácica com suspeita de etiologia cardíaca;

Doenças do pericárdio;

Cardiopatias congênitas;

Detectar e quantificar doenças cardíacas e dos grandes vasos relacionados ao coração.


Contraindicações

Não há.


Limitações

O exame pode ser inconclusivo em pacientes que apresentem:

Limitação de janela acústica por interposição de ar ou tecidos (enfisema subcutâneo, doença pulmonar obstrutiva periférica (DPOC), obesidade, prótese mamária, entre outras).

Limitação de acesso ao tórax (curativos, feridas cirúrgicas, drenos, entre outros).


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Ecodopplercardiograma para avaliação de sincronismo cardíaco Imprimir

Este exame não possui nenhum tipo de preparo.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

Pede-se que o paciente traga todos os exames cardiológicos anteriores, para que o médico tenha em mãos o máximo de informações sobre o paciente.

O que é

É um procedimento com finalidade de pesquisa de dissincronia cardíaca em pacientes com insuficiência cardíaca (situação em que ocorre prejuízo da função cardíaca devido à contração desorganizada do coração).


Como é feito

Com o paciente deitado, o médico utiliza um equipamento de ultrassom na região do tórax do paciente para observar a contratilidade do coração, analisando o tempo de contração dos segmentos e os fluxos intracardíacos.


Indicações

Para determinar a sincronia das diversas paredes do coração e sua contribuição para a contração cardíaca global, tanto entre as paredes do ventrículo esquerdo como também entre os dois ventrículos;

Para a indicação e resultado da terapia de ressincronização ventricular por implante de marcapasso biventricular em pacientes com insuficiência cardíaca avançada, proporcionando melhora dos sintomas, da qualidade de vida e dos índices de performance cardíaca.


Contraindicações

Não há.


Limitações

Nesse exame, as imagens do coração são obtidas externamente através da parede torácica. Algumas condições clínicas, como obesidade, deformidades do tórax e enfisema pulmonar, podem dificultar a visualização das estruturas cardíacas, prejudicando o diagnóstico.

Nesses casos, diz-se que os pacientes apresentam janela acústica inadequada ou desfavorável.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Ecodopplercardiograma fetal com mapeamento de fluxo em cores Imprimir

O exame é completamente indolor e sem riscos para a paciente e o bebê

Este exame não possui nenhum tipo de preparo.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

A ecocardiografia fetal é um método ultrassonográfico não invasivo realizado no abdome da mulher grávida após a 18ª semana de gestação, para avaliação intrauterina morfológica e funcional do coração do feto.

Com o diagnóstico precoce, é possível iniciar o tratamento medicamentoso ou intervencionista ainda dentro do útero, bem orientar onde o parto deverá ser realizado.


Como é feito

O transdutor é colocado sobre o abdome materno a fim de obter as imagens do coração do feto. No monitor são observadas as possíveis alterações anatômicas e funcionais da circulação fetal normal.


Indicações
A Sociedade Brasileira de Cardiologia recomenda que o exame seja realizado na rotina de todo pré-natal, pois dentre os bebês que apresentam doenças congênitas do coração apenas 10% apresentam fatores de risco.

Detecção ou exclusão de anormalidades cardíacas fetais durante o pré-natal;

Detecção ou suspeita de cardiopatia congênita à ultrassonografia obstétrica;

Fatores de risco materno-familiares para cardiopatias;

Avaliação de repercussões de arritmias cardíacas fetais


Contraindicações

Não há.


Limitações

Não é recomendada a realização do exame antes da 18ª semana devido à imaturidade do feto, que dificultaria a avaliação das estruturas cardíacas;

No final da gestação também pode haver dificuldade na visualização das estruturas cardícas (janela acústica inadequada ou desfavorável);

Agitação ou posicionamento inadequado do feto;


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Ecodopplercardiograma transesofágico Imprimir

Preparo

Jejum absoluto (inclusive líquidos) por 6 horas

O paciente deve estar acompanhado ou o exame não será realizado.

O paciente não precisa suspender o uso de qualquer medicamento para realizar o exame.

Pede-se que o paciente traga todos os exames cardiológicos anteriores, para que o médico tenha em mãos o máximo de informações sobre o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

Código CBHPM: 4.09.01.09-2

O que é

A Ecocardiografia transesofágica é um método realizado por meio da introdução de sonda no esôfago, após anestesia local da orofaringe para evitar o reflexo de vômito. Permite a obtenção de informações relevantes para o esclarecimento diagnóstico, de forma complementar ao procedimento transtorácico.


Como é feito

As imagens são obtidas por meio de transdutor presente na extremidade da sonda esofágica, introduzida após anestesia local da orofaringe com lidocaína spray 10% e gel 2%.

A anestesia da garganta é de curta duração; porém é recomendado que se evitem alimentos muito quentes ou secos na primeira hora após a realização do exame. Caso o paciente receba sedação, será liberado somente após acordar. Na primeira hora após a sedação, pode persistir algum grau de sonolência ou tontura. Como pode persistir algum efeito sedativo por até 12 horas, o paciente deverá evitar atividades que requeiram atenção, como dirigir veículos ou manusear máquinas.

A sedação é procedimento opcional, para conforto do paciente, sendo habitualmente de grau leve a moderado e realizada com benzodiazepínico, preferencialmente midazolam intravenoso. Em casos isolados e em crianças ou indivíduos idosos, indica-se sedação profunda ou anestesia geral acompanhada por anestesiologista.


Indicações

Visualizar a anatomia cardíaca e suas malformações;

Diagnóstico de fontes de embolia pulmonar e sistêmica, e de presença de trombos intracavitários pré-cardioversão;

Melhor detalhamento anatômico e funcional das valvas cardíacas e de próteses valvares (sobretudo em posição mitral);

Diagnóstico e avaliação de complicações de endocardite, doenças da aorta;

Diagnóstico e avaliação onde a ecocardiografia transtorácica ocorre com limitação importante de imagem.


Contraindicações

Absolutas (impedem a realização do exame): estenose de esôfago, tumor com envolvimento do esôfago, discrasia sanguínea, anticoagulação excessiva, uso recente (menor que 48h) de fibrinolítico, sangramento recente (menor que 1 semana) de varizes de esôfago, divertículo de Zenkel.

Relativas (dificultam mas não impedem a realização do exame): uso recente (menor que 48h) de fibrinolítico, sangramento recente (entre 1 semana e 1 mês) de varizes de esôfago não tratadas por escleroterapia, insuficiência respiratória (necessário suporte ventilatório prévio).


Efeitos adversos

O Ecocardiograma Transesofágico é procedimento semi-invasivo de baixo risco. Não causa dor nem desconforto respiratório. Algumas complicações podem ocorrer relacionadas ao procedimento e à utilização da sedação:

Pequenos sangramentos na garganta; dificuldade à passagem da sonda esofágica em pacientes com doença prévia de esôfago; lesões na mucosa do esôfago; pequenas variações na oxigenação e no ritmo cardíaco.

Complicações graves são muito raras e para maior segurança do paciente é realizada a monitoração contínua do ritmo cardíaco e da oxigenação durante o exame.


Limitações

O exame pode não ser realizado, ou ser inconclusivo, em pacientes que apresentem:

Impossibilidade de introdução da sonda no esôfago; dificuldade de alinhamento do feixe ultrassônico, prejudicando avaliação hemodinâmica (gradientes e outros cálculos); Avaliação de estruturas mais anteriores e/ou laterais, distantes do esôfago; Limite de profundidade de alcance do feixe ultrassônico, dificultando compreensão tridimensional.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Ecodopplercardiograma transesofágico intraoperatório Imprimir

Este procedimento difere do exame "Ecodopplercardiograma transesofágico". Consulte código CBHPM.

Preparo: Já incluído no preparo anestésico pré-operatório.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

Código CBHPM: 4.09.02.07-2

O que é

A Ecocardiografia transesofágica intraoperatória é um método ultrassonográfico realizado por meio da introdução de sonda esofágica durante uma cirurgia. Esse exame fornece ao cirurgião, em tempo real, informações importantes sobre o aspecto das estruturas cardíacas e sobre a função do coração.


Como é feito

A sonda esofágica é introduzida após o início da anestesia geral e da intubação orotraqueal e é mantida até o término da cirurgia. As imagens são continuamente obtidas, sem interferência no procedimento cirúrgico.


Indicações

Orientação em tempo real de aspectos anatômicos e funcionais em cirurgias cardíacas;

Monitoramento da função contrátil durante cirurgias;

Detecção imediata de defeitos residuais e complicações passíveis de correção antes da retirada de circulação extracorpórea;

Avaliação imediata do resultado pós-operatório.


Contraindicações

Absolutas (impedem a realização do exame): estenose de esôfago, tumor com envolvimento do esôfago, discrasia sanguínea, anticoagulação excessiva, uso recente (menor que 48h) de fibrinolítico, sangramento recente (menor que 1 semana) de varizes de esôfago, divertículo de Zenkel.

Relativas (dificultam mas não impedem a realização do exame): uso recente (menor que 48h) de fibrinolítico, sangramento recente (entre 1 semana e 1 mês) de varizes de esôfago não tratadas por escleroterapia, insuficiência respiratória (necessário suporte ventilatório prévio).


Efeitos adversos

O Ecocardiograma Transesofágico é procedimento semi-invasivo de baixo risco. Não causa dor nem desconforto respiratório. Algumas complicações podem ocorrer relacionadas ao procedimento e à utilização da sedação:

Pequenos sangramentos na garganta; dificuldade à passagem da sonda esofágica em pacientes com doença prévia de esôfago; lesões na mucosa do esôfago; pequenas variações na oxigenação e no ritmo cardíaco.

Complicações graves são muito raras e para maior segurança do paciente é realizada a monitoração contínua do ritmo cardíaco e da oxigenação durante o exame.


Limitações

O exame pode não ser realizado, ou ser inconclusivo, em pacientes que apresentem:

Impossibilidade de introdução da sonda no esôfago; dificuldade de alinhamento do feixe ultrassônico, prejudicando avaliação hemodinâmica (gradientes e outros cálculos); Avaliação de estruturas mais anteriores e/ou laterais, distantes do esôfago; Limite de profundidade de alcance do feixe ultrassônico, dificultando compreensão tridimensional.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Ecodopplercardiograma sob estresse farmacológico Imprimir

Preparo

Jejum absoluto (inclusive líquidos) de 4 horas

Evitar totalmente alimentos e bebidas que contenham xantinas nas 24 horas que antecedem o exame (chocolate, achocolatados, refrigerantes, cafés, chás, chimarrão, etc.)

A suspensão da medicação em uso fica a critério do médico que solicitou o exame

O paciente deve estar acompanhado ou o exame não será realizado.

Pede-se que o paciente traga todos os exames cardiológicos anteriores, para que o médico tenha em mãos o máximo de informações sobre o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

O ecocardiograma ou ecocardiografia sob estresse farmacológico é um exame de ultrassom do coração associado ao uso de medicamentos (dobutamina ou dipiridamol) que possibilitam visualizar a contração do coração em repouso e em esforço máximo, semelhante ao atingido durante o exame de esforço realizado em esteira ergométrica.


Como é feito

O paciente recebe os medicamentos por uma veia (via intravenosa) e em doses crescentes – chamadas “estágios do exame”. Durante a realização do exame, são verificadas continuamente a pressão arterial, a frequência e o ritmo cardíaco, além dos níveis de oxigênio no sangue; também são realizados eletrocardiogramas em cada estágio.

O paciente permanece em repouso durante 30 minutos após o término do exame.

Após 60 minutos, pode retornar à sua rotina, sem restrição de dieta.

Caso utilize medicação de uso contínuo, esta deverá ser ingerida normalmente.

Indicações

Suspeita de obstrução das artérias coronárias, responsáveis pela irrigação do músculo do coração (doença arterial coronária).

Avaliação de pacientes submetidos à cirurgia de revascularização miocárdica (ponte de safena ou de mamária etc.) ou angioplastia coronária com ou sem colocação de stents.


Contraindicações

Pacientes na fase aguda de síndromes coronárias (IAM e angina instável)

O uso de Dobutamina é contraindicado para pacientes com hipertensão arterial descontrolada, arritmia ventricular ou que já apresentaram reações adversas ao uso da medicação.

O uso de Dipiridamol é contraindicado para pacientes com história de asma ou chiado no peito ou que já apresentaram reações adversas ao uso da medicação, e para aqueles que fazem uso de medicamentos chamados xantinas (aminofilina).


Efeitos adversos

Os efeitos colaterais são raros e semelhantes aos observados durante o teste ergométrico, como, por exemplo:

Sensação de formigamento no rosto; náusea; dor de cabeça; dor no peito; elevação da pressão arterial e palpitação.

Os efeitos adversos, quando aparecem, são prontamente detectados e acompanhados por nossa equipe.


Limitações

O exame pode ser inconclusivo quando não se atinge a frequência cardíaca submáxima esperada e não ocorrem sinais de isquemia.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Exames vasculares

Doppler colorido arterial de membro inferior Imprimir

Este exame não possui nenhum tipo de preparo.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

O ecodoppler arterial de membro inferior tem por objetivo pesquisar obstruções e aneurismas nas artérias das pernas.


Como é feito

O exame é realizado pelo especialista em ecografia vascular. Neste procedimento o médico utiliza a sonda de ultrassonografia para examinar as pernas do paciente, com o mesmo deitado ou em pé.


Indicações

Para o estudo de dores nas pernas ao caminhar e claudicação (mancar): dor para caminhar que alivia com o repouso e se repete em distâncias fixas;

Detectar aneurismas (dilatações das artérias) que não costumam apresentar sintomas e podem romper ou até mesmo obstruir os vasos distais por embolização de trombos;

Controle pós-operatório de cirurgia de revascularização (angioplastias, stent, by-pass, recanalizações, trombólises);

Para o estudo da etiologia das úlceras de origem isquêmicas ou hipertensivas.


Contraindicações

Não há.


Limitações

Não há.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Doppler colorido arterial de membro superior Imprimir

Este exame não possui nenhum tipo de preparo.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

O ecodoppler arterial de membro superior tem por objetivo pesquisar obstruções e aneurismas nas artérias dos braços.


Como é feito

O exame é realizado pelo especialista em ecografia vascular. Neste procedimento utiliza-se um aparelho de ultrassom para examinar os braços do paciente com o mesmo deitado ou sentado.


Indicações

Indicado para a pesquisa de dores nos braços, parestesias (formigamentos) e pesquisa da Síndrome do Desfiladeiro Cérvico-Torácico. O exame também é indicado para avaliações das artérias de um modo geral.

Detectar aneurismas (dilatações das artérias) que não costumam apresentar sintomas e podem romper ou até mesmo obstruir os vasos distais por embolização de trombos;


Contraindicações

Não há.


Limitações

Não há.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Doppler colorido venoso de membro inferior Imprimir

Este exame não possui nenhum tipo de preparo.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

O exame é realizado pelo especialista em ecografia vascular. Neste procedimento o médico utiliza um aparelho específico de ultrassonografia para examinar as pernas do paciente, com ele deitado ou em pé.


Como é feito

O exame é realizado pelo especialista em ecografia vascular. Neste procedimento o médico utiliza a sonda de ultrassonografia para examinar as pernas do paciente, com o mesmo deitado ou em pé.


Indicações

Mapeamento pré-operatório de cirurgia de varizes (esquema gráfico que orienta o cirurgião no momento da cirurgia) e avaliação pós-cirurgia de varizes.

Pesquisa de Trombose Venosa Profunda e Superficial e o acompanhamento das mesmas. Também é indicado para estudo de edema, hematomas pós-traumatismos, entorses, fraturas.

Estudo da etiologia das úlceras venosas.


Contraindicações

Não há.


Limitações

Não há.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Doppler colorido venoso de membro superior Imprimir

Este exame não possui nenhum tipo de preparo.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

O ecodoppler venoso dos membros superiores tem como objetivo pesquisar tromboses profundas e superficiais (tromboflebite).


Como é feito

O exame é realizado pelo especialista em ecografia vascular. Neste procedimento o médico utiliza um aparelho específico de ultrassonografia para examinar os braços do paciente, com o mesmo deitado.


Indicações

Dores nos braços, vermelhidão nos trajetos venosos (flebite), edema e formigamento nas mãos;

O ecodoppler venoso é indicado na avaliação para confecção de fístulas arteriovenosas para hemodiálise.


Contraindicações

Não há.


Limitações

Não há.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Doppler colorido de vasos cervicais arteriais (carótidas e vertebrais) Imprimir

Este exame não possui nenhum tipo de preparo.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

Exame realizado para a avaliação das artérias carótidas e vertebrais de forma não invasiva que permite analisar a anatomia (incluindo a presença de placas de gordura na parede dos vasos) e o comportamento do fluxo sanguíneo.

O ecodoppler de carótidas e vertebrais tem como objetivo detectar a presença de aterosclerose (placas de gordura, tecido fibroso) nas artérias que levam sangue ao cérebro.


Como é feito

Com o paciente deitado, examina-se a região do pescoço para analisar as artérias à procura de estreitamentos, placas de aterosclerose e obstruções, avaliando o fluxo sanguíneo.


Indicações

Indica-se a realização deste exame para detectar precocemente a presença de aterosclerose, e assim ajudar a decidir sobre o tratamento.

Indicar e orientar a necessidade de realização de cirurgia destas artérias, em casos de obstruções importantes.

Prevenção de AVC (Acidente Vascular Cerebral) detectando-se placas que causam obstruções e podem causar as isquemias cerebrais;

Pode-se também estudar as artérias oftálmicas quando há suspeita de cegueiras de etiologia isquêmicas.


Contraindicações

Não há.


Limitações

Obesidade


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Doppler colorido de aorta e artérias renais Imprimir

Preparo

Desde o dia anterior ao exame, tomar 40 gotas de dimeticona de 4 em 4 horas.

Jejum absoluto (inclusive líquidos) de 8 horas.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

Este exame tem como objetivo a pesquisa de estenoses nas artérias que levam o sangue para os rins e que causam pressão arterial elevada (hipertensão arterial sistêmica).


Como é feito

O exame é realizado pelo especialista em ecografia vascular. Neste procedimento o médico utiliza um aparelho específico de ultrassonografia para examinar o abdome do paciente, com o mesmo deitado.


Indicações

Detectar estenoses ou oclusões das artérias renais, displasias, dilatações, tortuosidades;

Acompanhamento de implante de stent.


Contraindicações

Não há.


Limitações

Obesidade

Abdome volumoso e rígido

Excesso de gases intestinais

Feridas abdominais abertas, suturas, grampos ou cateteres de diálise peritoneal.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

Doppler colorido de veia cava superior ou inferior Imprimir

Preparo

Desde o dia anterior ao exame, tomar 40 gotas de dimeticona de 4 em 4 horas.

Jejum absoluto (inclusive líquidos) de 8 horas.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

É um exame não invasivo, realizado em um aparelho de ultrassom que permite a avaliação das veias ilíacas, que levam o sangue proveniente das pernas em direção ao coração, por meio da veia cava inferior.


Como é feito

No exame de veia cava o paciente fica deitado em decúbito dorsal (“de barriga para cima”) com o abdome exposto. É aplicado gel sobre o abdome (para reduzir interferências), enquanto é utilizada uma sonda de superfície.


Indicações

Verificar a presença de tortuosidades, obstruções (entupimentos) e trombose (coágulo);

Diagnóstico de trombose venosa.


Contraindicações

Não há.


Limitações

Obesidade

Abdome volumoso e rígido

Excesso de gases intestinais

Feridas abdominais abertas, suturas, grampos ou cateteres de diálise peritoneal.

Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

US doppler de vasos cervicais venosos (subclávias e jugulares) Imprimir

Este exame não possui nenhum tipo de preparo.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

Possui a função de verificar a perviedade (ausência de trombose recente ou antiga) para melhor escolha para a colocação de cateteres centrais, tipo para quimioterapia ou hemodiálise. Pode-se acompanhar tromboses dessa região, além de poder informar presença de compressão extrínseca por tumores no mediastino.


Como é feito

Com o paciente deitado, examina-se a região do pescoço para analisar as veias à procura de estreitamentos, placas de aterosclerose e obstruções, avaliando o fluxo sanguíneo.


Indicações

Realizado para pesquisa e/ou controle de trombose venosa superficial e/ou profunda, guiar punção venosa


Contraindicações

Não há.


Limitações

Obesidade


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

US doppler colorido de aorta e ilíacas Imprimir

Preparo

Desde o dia anterior ao exame, tomar 40 gotas de dimeticona de 4 em 4 horas.

Jejum absoluto (inclusive líquidos) de 8 horas.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

É um exame não invasivo, realizado em um aparelho de ultrassom que permite a avaliação da Aorta e seus ramos. Tem a finalidade de avaliar doenças ateroscleróticas, aneurisma, obstruções, entre outras.


Como é feito

No exame de aorta e ilíacas, o paciente fica deitado com o abdome exposto (“de barriga para cima”). É aplicado gel sobre o abdome (para reduzir a interferência), enquanto é usado uma sonda de superfície.


Indicações

Indicado para detectar estreitamentos das artérias (estenoses, oclusões) ou dilatações das artérias (aneurismas);

Tanto as estenoses quanto os aneurismas são geralmente indolores, mas possuem alta taxa de mortalidade. Quando são identificados precocemente, diminui-se os riscos de ruptura e embolização (liberação de coágulos).

Para o estudo de dores nas pernas ao caminhar e claudicação (mancar): dor para caminhar que alivia com o repouso e se repete em distâncias fixas;

Controle pós-cirúrgico de cirurgias da aorta e ramos ilíacos (by-pass, stent, aneurismas e recanalizações);

Indica-se para avaliar as artérias dos ramos viscerais (intestino, fígado) que podem apresentar alguma obstrução e consequentemente dores abdominais durante a alimentação.


Contraindicações

Não há.


Limitações

Obesidade

Abdome volumoso e rígido

Excesso de gases intestinais

Feridas abdominais abertas, suturas, grampos ou cateteres de diálise peritoneal.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.

US doppler colorido de artérias viscerais Imprimir

Preparo

Desde o dia anterior ao exame, tomar 40 gotas de dimeticona de 4 em 4 horas.

Jejum absoluto (inclusive líquidos) de 8 horas.

Este exame é indolor e sem riscos para o paciente.

Não há uso de contraste e/ou radiação.

O que é

É um exame de ultra-sonografia bastante utilizado na avaliação dos vasos sanguíneos e suas doenças, indolor e não invasivo. Atinge um alto grau de confiabilidade no diagnóstico de várias doenças vasculares, tais como obstruções vasculares arteriais dos membros e do cérebro, trombose venosa profunda e doenças nas artérias dos rins.


Como é feito

O paciente fica deitado em decúbito dorsal (“de barriga para cima”) com o abdome exposto. É aplicado gel sobre o abdome (para reduzir a interferência), enquanto é usado uma sonda de superfície.


Indicações

Sopros abdominais;

Suspeita de aneurisma de vasos viscerais;

Suspeita de síndrome de compressão da artéria celíaca;

Suspeita de insuficiência intestinal (angina mesentérica - dor abdominal pós-prandial - após a alimentação);

Avaliação de enxertos e stents arteriais mesentéricos ou do tronco celíaco e seus ramos.


Contraindicações

Não há.


Limitações

Obesidade

Abdome volumoso e rígido

Excesso de gases intestinais

Feridas abdominais abertas, suturas, grampos ou cateteres de diálise peritoneal.


Referências
1. Diretriz para indicações e utilização da ecocardiografia na prática clínica. Revista Brasileira de Ecocardiografia 2004;17(1):49-77.
2. ACC/AHA/ASE 2003 Guideline update for the clinical application of echocardiography: summary article. Journal of the Am Society of Echocardiography 2003;16(10):1091-1110.